segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Falta de comparência

É curioso como duas derrotas tão parecidas podem ser completamente diferentes. O FC Porto perdeu em Braga por apenas um golo, tal como aconteceu em Stamford Bridge e, tal como Anelka foi feliz no ressalto que lhe permitiu bater Helton à segunda, também Alan teve sorte no ligeiro desvio de Varela, suficiente para transformar o cruzamento num remate e bater o guarda-redes portista. O que separa a derrota frente aos minhotos da sofrida em Londres é o facto de, em Braga, o FC Porto nunca ter feito por merecer outro resultado. Se conseguiu olhar nos olhos o todo-poderoso Chelsea, teve de se por em bicos de pés para se equivaler ao Braga e, mesmo assim, só nos últimos dez minutos de uma partida na qual fez quase sempre figura de corpo presente. Ora, o Braga é uma excelente equipa, mas não é o Chelsea pelo que a explicação para a diferença entre os dois jogos se deve procurar no FC Porto, na inadequação de Guarín, no esgotamento de Raul Meireles ou na inconsequência de Hulk. Seria injusto para o Braga dizer que foi o FC Porto que perdeu o jogo, mas é certo que foi o FC Porto que abdicou de o discutir. E um campeão não pode perder jogos por falta de comparência.

Jorge Maia n' O Jogo.

1 comentário:

Diamantino disse...

Totalmente de acordo: o FCP não esteve em Braga e o maior responsável disso foi o treinador pela forma como escalonou a equipa de início e por não ter dedo para as substuições