sábado, 14 de maio de 2011

Mudança

Estamos em 

Capas de 14 de Maio de 2011

Hulk até 2016

Hulk renovou até 2016 com o FC Porto, que detém agora mais 40 por cento do passe, em resultado de um acordo selado ontem e oficializado num comunicado à Comissão de Mercados e Valores Mobiliários (CMVM). A operação, que Pinto da Costa tornou pública no final de um jantar com adeptos em Vila Real, em jeito de sobremesa, custou aos portistas 13,5 milhões de euros, parcela que, somada aos 5,5 milhões pagos pela fatia de 50 por cento adquirida inicialmente, faz do brasileiro o mais caro jogador de sempre do FC Porto e do futebol português: 19 milhões de euros foi o investimento portista em Hulk, que continua a ter uma cláusula de 100 milhões de euros. Os 13, 5 milhões, segundo informa o comunicado dos portistas, serão pagos ao Clube Atlético Rentistas, emblema uruguaio associado a Juan Figer, empresário do brasileiro. "Perguntaram-me hoje se conseguia segurar Hulk e Falcao. Se não há defesa que consiga, como conseguiria eu? Mas isso é no campo, porque vou dar-vos uma notícia em primeira mão: antes de vir para aqui, a última coisa que fiz foi renovar com Hulk", disse Pinto da Costa, em Vila Real.

O brasileiro tinha contrato até 2015 e já estava blindado pela cláusula de 100 milhões, mas a posição dos portistas sai reforçada porque, para efeitos futuros, o lucro a obter com uma possível venda quase que duplica. Até ontem, o FC Porto só teria direito a cerca de metade do valor do negócio, passando a deter agora o proveito quase total. Hulk é, como se sabe, um dos jogadores mais cobiçados do plantel, a par de Falcao, que tem mais dois anos de contrato com os dragões.

Atacar a Champions é um dos objectivos firmes dos portistas na próxima época e, apesar de ter os elementos nucleares contratualmente salvaguardados, começa a desenhar-se uma estratégia idêntica à de 2003, quando o clube conseguiu bloquear o assédio aos principais jogadores depois da vitória na UEFA. Além de Falcao, também Fernando, Rolando e Álvaro Pereira, por exemplo, têm sido notícia por conta de supostos apetites de outros clubes, facto que reforça a convicção de que outras renovações podem estar na calha.

Carlos Gouveia e Hugo Sousa n' O Jogo.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Capas de 13 de Maio de 2011

Newsletter: estamos a observar Falcao, James e Álvaro

Da mesma forma que não se deve beber água de todas as fontes, convém saber que nem sempre a proximidade é uma qualidade nas fontes próximas. A mais recente e famosa fonte próxima em Portugal, com direito a discurso entre aspas, esperava ontem ter revelado um estranho caso de espionagem industrial em que Ferrari e McLaren são trocados por Benfica e FC Porto. A história é simples: como os dois clubes partilham a mesma empresa na gestão do site e distribuição do correio electrónico, os portistas tiveram acesso aos e-mails das águias. Estranho? Não. Curioso, para além de inédito. É que da espionagem dos e-mails chegamos depressa ao erro na distribuição das newletters - que levou Pinto da Costa a casa de muitos sócios do Benfica - e daí ao acesso a informação que permitiu aos "raptos" de Falcao, Álvaro Pereira e James. Digno de Hollywood. E, permitam a liberdade de expressão, uma pergunta? O Benfica envia correio electrónico aos sócios dando conta do início de observações e andamento das negociações com eventuais reforços? Não?! Bem me pareceu.

Alcides Freire n' O Jogo.

Lucho - Se há quem merece ganhar é o FC Porto

Lucho não esquece o FC Porto. Nem quer. Deixou o clube há dois anos para ser campeão pelo Marselha e continua a dizer que tem a porta do Dragão aberta para um eventual regresso. Mas prefere não antecipar cenários que não pode confirmar. Em entrevista a O JOGO, o médio falou de Villas-Boas, de Falcao e de Otamendi e, naturalmente, da final da Liga Europa. Considera o FC Porto favorito na partida com o Braga e admite que a qualidade de jogo da sua antiga equipa é uma das grandes surpresas desta temporada a nível europeu.


A época que o FC Porto está a realizar surpreende-o?

Claro que não. Sei a classe dos jogadores, conheço a maioria deles, e não me surpreende o nível que têm apresentado. Tive a possibilidade de conhecer o Villas-Boas e vê-se que é um treinador muito ambicioso, jovem, mas uma pessoa que trabalha muito. Conhecendo as gentes do clube, a equipa técnica e os jogadores, ninguém pode ficar surpreendido.

O que é que o FC Porto tem de especial que faz com que seja tantas vezes vencedor em Portugal?

É sobretudo a estrutura e a mentalidade das pessoas que trabalham no clube. Saem jogadores importantes todos os anos, vendem a um bom preço, mas encontram sempre o substituto certo e a equipa continua competitiva. Além disso, os jogadores só têm de se preocupar em treinar e jogar bem. É essa a base do sucesso do FC Porto.

E vai ganhar a Liga Europa contra o Braga?

Penso que sim, já era um dos candidatos à vitória final antes do início da prova e ao longo da época demonstrou isso fazendo grandes partidas, como com o Villarreal no Dragão em que foi amplamente superior. As finais são jogos diferentes dos outros, mas se há quem merece ganhar é o FC Porto.

Quer aproveitar para deixar uma mensagem aos antigos companheiros?

Que desfrutem deste momento que estão a viver, podem ficar na história do clube. Isso é o mais bonito que pode acontecer na carreira de um jogador, ser recordado por algo grande quando deixar de jogar.

É um clube que lhe deixou boas recordações?

Obviamente. Nem se pode colocar em causa isso. Tenho amigos no plantel e no clube e estou sempre atento a tudo o que se passa com o FC Porto, leio nas notícias e vejo os jogos. Estarei sempre agradecido.

Considera que, a seguir ao Barcelona, é a equipa mais forte na Europa como já foi dito?

Não sei se é a mais forte, mas é uma das que melhor jogam e que demonstrou estar mais sólida. Não se pode dizer dessa maneira, obviamente que é das grandes surpresas desta época a nível europeu.

"Villas-Boas está sempre bem disposto"

Lucho saiu de Portugal há quase dois anos numa altura em que Villas-Boas ainda não se tinha sentado num banco técnico - com a curta excepção da passagem pelas Ilhas Virgens Britânicas - mas tem acompanhado com particular atenção a carreira do sucessor de Jesualdo Ferreira no FC Porto. Além de ver os jogos pela televisão - tem os canais nacionais na sua casa do Sul de França - o argentino deu um salto a Portugal em Janeiro para matar saudades e rever os amigos, tendo aproveitado para ir a Aveiro assistir ao jogo com o Beira-Mar. Aí, conheceu pessoalmente o jovem treinador do FC Porto. "Pelo pouco que pude ver e pelo que conversei com ele nesse dia parece-me um treinador muito aberto, que está sempre bem disposto, que fala com os jogadores e ter uma óptima relação com eles é fundamental", referiu. Lucho defende que isso se tem reflectido nas vitórias dos azuis e brancos. "Quando assim é os resultados dentro do relvado são ainda mais positivos. A carreira dele ainda agora começou, mas começar desta maneira ganhando o campeonato e tendo ainda a hipótese de vencer a Liga Europa e a Taça de Portugal é fantástico", frisou. Mais difícil para Lucho é entrar na inevitável e repetida comparação com José Mourinho. "Não segui o começo da carreira dele como treinador. É verdade que ouço muita gente a fazer essa comparação e se o fazem deve ser por alguma coisa. Mas eu não o posso fazer para não cometer qualquer injustiça. Sei só que o Mourinho ganhou o campeonato e a Taça UEFA e depois a Liga dos Campeões pelo FC Porto", atirou.
"Não há muitos goleadores como o Radamel Falcao"

Os últimos grandes goleadores do FC Porto cruzaram-se com Lucho. Um viajou com ele do outro lado do Atlântico para jogar no Dragão, o outro foi seu companheiro de equipa no River Plate, durante duas temporadas. Falámos de Lisandro e de Falcao, naturalmente. Desde Marselha, Lucho, que não esconde o seu "portismo", tem vibrado com os golos do colombiano, a quem não poupou nos elogios, ainda que admita que o nível de facturação do avançado esteja um pouco acima das suas expectativas. "A carreira do Falcao não me surpreende porque sei o que ele vale. Tive a possibilidade de jogar ao lado dele e na Argentina já era um goleador. É um daqueles jogadores que hoje em dia já não há muitos. Dentro da área, geralmente, não falha, mas claro que ninguém contava que fizesse tantos golos como está a fazer na Europa. Fico contente por ele porque o conheço e sei que trabalha duro para merecer este momento", sublinhou, El Comandante.
"Manifestei vontade de voltar e sei que é uma porta que está aberta"

Se pudesse escolher, Lucho acabava a carreira na Argentina, dentro de uns anos. Mas antes voltava a pisar o relvado do Estádio do Dragão com a camisola 8 do FC Porto. Só que o argentino sabe que o futuro é imprevisível, ainda mais no futebol, pelo que prefere não fazer grandes vaticínios. "É difícil ter uma opinião exacta sobre o futuro. Desde que saí do FC Porto que manifestei a vontade de um dia voltar, é uma porta que está aberta, mas não sei o que vai acontecer. O meu pensamento é terminar a carreira na Argentina, mas também não sei se isso é possível", atirou o sócio número 103 052 do FC Porto.
Para já, está no Marselha a cumprir a segunda das quatro temporadas que assinou e ainda pode render mais algum dinheiro aos cofres da SAD azul e branca se voltar a vencer o campeonato. E garante que não está arrependido da mudança. "Foi um passo importante. Cheguei a um clube que não ganhava nada há 18 anos e na época passada conseguimos três títulos. Este ano voltamos a vencer a Taça da Liga ao Montpellier e ainda estamos na luta pelo campeonato. O balanço é mais do que positivo e não estou nada arrependido de ter saído do FC Porto. Creio que foi um passo à frente e não para trás", considerou.
"Otamendi parece que anda nisto há muito tempo"

Lucho deixou de ir à selecção da Argentina, mais ou menos, na altura em que saiu do FC Porto, há quase dois anos, para jogar no Marselha. Uma coincidência que o impediu de jogar ao lado de Otamendi, o defesa que os dragões contrataram esta temporada, depois de ter sido titular no Mundial da África do Sul pelas mão de Maradona. "Dios" saiu da alviceleste, mas o central/lateral continua nas escolhas de Sergio Batista e Lucho tem acompanhado a sua carreira. "É um jogador com experiência, muito seguro, que jogou competições internacionais como o último Mundial. Trata-se de um jovem [23 anos], mas com trajectória e que parece que já anda nisto há muitos anos", referiu.

Valter Madureira n' O Jogo.

Rui Moreira n' A Bola



Francisco José Viegas n' A Bola


Paulo Teixeira Pinto n' A Bola




quinta-feira, 12 de maio de 2011

Comunicado da FC Porto - Futebol, SAD

O DESESPERO

Com papas e bolos se enganam os tolos. Os invejosos voltaram à única coisa em que se distinguem – a maledicência –, com a insipiência do costume, é certo, para tentarem, fora do campo, o que não conseguem dentro das quatro linhas. Um clássico.
Ontem mesmo, no dia em que foi conhecida mais uma sentença da Justiça, favorável a Jorge Nuno Pinto da Costa e ao FC Porto, foram colocados no YouTube dois áudios (um em português, outro em inglês, e viva o luxo) do ex-árbitro Jacinto Paixão, em que este acusa o FC Porto de o contactar para prejudicar o Benfica num jogo no Estádio da Luz, com o Moreirense, disputado no final de Fevereiro de 2004.
Ainda hoje o FC Porto agradece às alminhas que esse jogo tenha terminado 1-1, pois foi esse resultado que permitiu uma vantagem na classificação de 14 pontos sobre o terceiro classificado, contra os escassos 12 antes da jornada se disputar, isto à 24.ª ronda. Um alívio.
Jacinto Paixão é mentiroso. Mente com todos os dentes e a ficção voga à medida dos interesses momentâneos dos desesperados desta vida. Em Dezembro de 2010, Jacinto Paixão foi entrevistado na BenficaTV e o que disse ele então? "Ouvi falar de viagens pagas, não sei se é verdade", mas agora, numa alegada gravação de 2004, ontem cirurgicamente divulgada, diz que o FC Porto lhe pagou uma viagem a Marrocos... Curiosamente, Jacinto Paixão apresenta-se na dita gravação de 2004 como ex-árbitro, função que abandonou em Março de 2006. Um visionário, portanto. Até a mentir são muito fraquinhos.
Não nos espanta que estas notícias surjam a menos de uma semana do FC Porto disputar mais uma final europeia, o mesmo já tinha acontecido aquando das meias-finais, com uma notícia do jornal Marca, sabe-se com que intuito. Para os mais esquecidos, sabem qual foi o resultado? Quem foi possível identificar vai ser processado e o FC Porto apurou-se para a final, enquanto outros acabaram envergonhados, a pedir desculpas aos próprios adeptos.
Se alguém tem dúvidas da origem destas sucessivas mentiras basta recordar quem foi, em tempos, o advogado que representou Jacinto Paixão. António Pragal Colaço, conhecido por apelar à violência contra os adeptos do FC Porto em plena Benfica TV.
Como ainda a semana passada cantava uma claque ilegal, quando uma equipa chegou de mais uma derrota: "Joguem à bola..."
PS: O jornal i noticiou hoje que o Benfica suspeita de espionagem e que o FC Porto leia os seus mails. Descansem, não somos assim tão perversos, para nossa diversão basta ler os jornais "A Bola" e "Correio da Manhã".

Capas de 12 de Maio de 2011




André Villas-Boas - Não sei onde Domingos viu que estamos pior

No final do Braga-Benfica, Domingos Paciência terá considerado que o FC Porto já esteve mais forte esta época do que agora, mas Villas-Boas refuta totalmente essa ideia, garantindo uma equipa mais do que pronta para a final. Só não assume o favoritismo, agora que estará no banco, depois de ter visto as vitórias de Sevilha e Gelsenkirchen na bancada e pela televisão da avó o triunfo em Viena, em 1987.

Pinto da Costa disse que seria mais fácil defrontar o Benfica. Concorda?

Não sei, só o presidente pode responder por essa afirmação... Se tivesse sido o Benfica a motivação era a mesma porque também precisava este ano de um troféu importante e poderia ter essa oportunidade. Infelizmente para eles esfumou-se e é o Braga. Cabe-nos interpretar as dificuldades de uma final e de uma equipa como o Braga.

O Braga está muito diferente do que defrontou no campeonato?

Não, mas é notória a motivação e confiança da equipa. É a melhor fase final que poderiam ter, ambicionam terminar no terceiro lugar e nós sempre os consideraremos como candidatos ao título, embora a mensagem do Domingos tenha sido de ficar nos quatro primeiros. Vai conseguir fazê-lo e com uma final europeia pelo meio. No segundo jogo do campeonato era uma equipa à procura de se encontrar em termos de resultados e agora está numa fase excelente. O Braga merece estar na final, como nós merecemos.

Já ter jogado com o Braga duas vezes, e vencido, altera alguma coisa?

O Braga também nos conhece bem. Para o seu técnico nós estamos piores, mas não sei onde é que ele viu isso. Refuto porque tivemos uma parte final de época estrondosa de Fevereiro até agora. Estamos fortes e confiantes de que poderemos triunfar. O Braga vai querer transcender-se, vem de dois resultados negativos para o campeonato com o FC Porto, mas isto é uma final e estamos a falar de uma equipa que estuda bem os adversários e vai-nos criar muitos problemas. Concede a iniciativa, mas é muito eficaz e rigorosa na organização, muito forte colectivamente e capaz de finalizar cada ataque com perigo. Portanto, uma equipa objectiva e rápida no contra-ataque.

Já existe ansiedade no grupo?

Estamos tranquilos e sem ansiedade. Estamos em preparação para o Marítimo e temos três jogos e três objectivos diferentes, mas muito saborosos. A equipa está confiante e motivada. Pela primeira vez esta época, que o treino foi aberto aqui no Olival, e espero que tenham gostado. De certeza que viram grande rigor e intensidade. O que fazemos em treino é o que fazemos em jogo e esperamos acabar em beleza e conquistar esses três objectivos.

Como é que tem mantido o equilíbrio entre a euforia e o trabalho?

Vivemos na normalidade, todos somos vencedores e mantemos o clube na rota do sucesso. Sou uma pessoa muito reservada e tudo isto não tem grandes reflexos na minha vida

"Ele não joga, mas Braga tem bons atacantes"

Para Villas-Boas é quase um alívio Domingos não poder defrontar o FC Porto no relvado da Arena de Dublin. Afinal, trata-se do avançado "peculiar e desequilibrador" que motivou uma conversa com Bobby Robson e que, conforme é do conhecimento público, levou a que Villas-Boas passasse a colaborar com os portistas. Entre elogios ao ainda treinador do Braga, ficou a certeza de que o adversário tem avançados suficientes para o FC Porto se preocupar. "O Domingos era um jogador com um estilo muito criativo e peculiar, diferente do que encontramos na velocidade do futebol moderno. Desequilibrava, fazendo do drible a grande aposta e, por isso, tinha um encanto especial. Era um franzino ponta-de-lança que traz grandes memórias aos adeptos portistas e o seu passado traz-lhe igualmente grandes memórias. Mas não sei qual seria o seu enquadramento no futebol actual. Sei é que o Braga tem atacantes bons e suficientes para nos criarem problemas", atirou.

"Equipa tem sido bastante competente na organização defensiva"

Preocupa-o o facto de o FC Porto ter sofrido seis golos em quatro dias?

Não. Vou dar o exemplo do Villarreal que se sucedeu a goleada em casa, um resultados de conforto. Sofremos algumas lesões e com o decorrer do jogo foi-se perdendo alguma concentração. Com o Paços de Ferreira, tivemos a iniciativa e criámos oportunidades suficientes. É um número elevado de golos, mas que não nos preocupa, queremos é marcar sempre mais um do que o adversário. Não é uma preocupação para uma equipa que tem sido bastante competente na organização defensiva.

"O meu futuro está ligado ao FC Porto"

Domingos Paciência aproveitou a conferência de Imprensa do "media open day" da UEFA para anunciar a saída do Braga, embora sem confirmar que Alvalade será a sua casa a partir de Julho. Já Villas-Boas garantiu que continuará no Dragão, mesmo que os potenciais interessados se multipliquem a cada vitória do FC Porto. A semana começou a falar-se do Chelsea e ontem foi a vez de se voltar à Juventus, que continua à procura de um sucessor de Luigi del Neri. "Se o Domingos entendeu anunciar isso na conferência, muito bem. O meu futuro está completamente ligado ao FC Porto e desconheço qualquer interesse oficial de qualquer desses clubes", assegurou

"Não nos pomos em bicos de pé"

O FC Porto é favorito à conquista da Liga Europa?

Não temos respondido a essa questão. Não temos o hábito de nos colocarmos em bicos de pé, portanto não atribuímos qualquer importância a isso. Estamos motivados para uma grande final europeia, contra uma equipa que não se cansa de derrotar grandes clubes e que estará também supermotivada. Tudo pode acontecer, mas estamos confiantes na nossa identidade e estilo de jogo e esperançosos de que isso seja suficiente para termos sucesso. Isso é mais importante do que qualquer mensagem no sentido de que já ganhámos.

Mas concorda que está mais obrigado a vencer do que Domingos?

Acho que não. O nosso objectivo principal foi atingido e, como disse Rolando no outro dia, calhou-nos o bónus da Liga Europa. Tudo pode acontecer, mas não existe pressão extra. Aliás, o Braga já demonstrou que pode ganhar a toda a gente.

Uma final mais táctica por serem dois clubes do mesmo país?

Gostamos de ter a iniciativa, de ter a bola e de criar oportunidades, e podemos pagar caro por defender um estilo assim, porque nem sempre vence quem joga melhor. Se nos vamos apresentar com mais cautelas aqui e ali, elas serão estratégicas, e o Braga obriga a isso, mas sem por em causa a nossa filosofia porque isso seria remar contra a maré. Posso assegurar um FC Porto de iniciativa e de criação de oportunidades. Preferimos morrer com este estilo, e as finais também são para serem bem jogadas e não apenas ganhas.

Domingos disse que as pessoas estariam todas a torcer para que o pequeno ganhe ao grande. Sente que só os portistas querem o triunfo do FC Porto?

Acho que, pela primeira vez, Portugal ficará satisfeito com o vencedor, seja ele qual for. O resto, pouco me interessa, desde que os nossos fiquem satisfeitos por ganhar o troféu.

Há um ano e meio pensava que estaria aqui com um título ganho e na final?

São coisas impensáveis, até porque não sabia qual era o meu futuro. Estava na Académica e preocupado em conseguir a permanência. E esse foi o maior desafio da minha carreira. As expectativas de uma carreira curta, mas apenas isso.

"Cláusulas protegem Hulk e Falcao"

Não é só Villas-Boas que tem mercado no FC Porto. Os golos e as exibições, sobretudo de Hulk e Falcao, têm feito despertar a cobiça de muitos "tubarões" europeus. O treinador portista espera poder contar com os dois craques para atacar a Liga dos Campeões na próxima temporada e sua convicção é de que ambos vão mesmo continuar a vestir de azul e branco. E explica porquê: "A mensagem do presidente em relação às cláusulas de rescisão é clara. O FC Porto salvaguarda-se muito bem em relação a isso. Tanto para Hulk como para Falcao, as cláusulas são elevadas e dificilmente algum clube poderá batê-las neste defeso, a não ser com um investimento muito grande", frisou.

"Cláusulas protegem Hulk e Falcao"

Não é só Villas-Boas que tem mercado no FC Porto. Os golos e as exibições, sobretudo de Hulk e Falcao, têm feito despertar a cobiça de muitos "tubarões" europeus. O treinador portista espera poder contar com os dois craques para atacar a Liga dos Campeões na próxima temporada e sua convicção é de que ambos vão mesmo continuar a vestir de azul e branco. E explica porquê: "A mensagem do presidente em relação às cláusulas de rescisão é clara. O FC Porto salvaguarda-se muito bem em relação a isso. Tanto para Hulk como para Falcao, as cláusulas são elevadas e dificilmente algum clube poderá batê-las neste defeso, a não ser com um investimento muito grande", frisou.

"Cláusulas protegem Hulk e Falcao"

Não é só Villas-Boas que tem mercado no FC Porto. Os golos e as exibições, sobretudo de Hulk e Falcao, têm feito despertar a cobiça de muitos "tubarões" europeus. O treinador portista espera poder contar com os dois craques para atacar a Liga dos Campeões na próxima temporada e sua convicção é de que ambos vão mesmo continuar a vestir de azul e branco. E explica porquê: "A mensagem do presidente em relação às cláusulas de rescisão é clara. O FC Porto salvaguarda-se muito bem em relação a isso. Tanto para Hulk como para Falcao, as cláusulas são elevadas e dificilmente algum clube poderá batê-las neste defeso, a não ser com um investimento muito grande", frisou.










Carlos Gouveia n' O Jogo.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Deco - É muito difícil serem tão felizes noutro clube

A história está prestes a repetir-se. Oito anos depois da vitória em Sevilha, o FC Porto volta a ter hipótese de conquistar a Liga Europa - na altura, denominada Taça UEFA -, numa época com contornos cada vez mais épicos. No meio de tantas vitórias, sobra, pelo menos para já, apenas uma certeza: os principais clubes europeus voltam a piscar o olho à grande maioria dos jogadores do FC Porto. Sobra a pergunta: como é que um jogador consegue resistir a tão grandes promessas? Deco, que até ficou mais um ano pelo Dragão depois de conquistar a Taça UEFA em 2003, conta como tudo se passou depois da conquista de Sevilha. Directamente do Rio de Janeiro para o jornal O JOGO, o médio reconheceu, no entanto, que esse não é um trabalho fácil para os dirigentes, até porque o assédio aos principais jogadores do plantel vai aumentar nos próximos tempos. Afinal, dinheiro é sempre dinheiro. Não é fácil resistir à tentação de um contrato milionário, mas Deco acabou por ficar. E até conseguiu o que lhe parecia impossível: vencer a Liga dos Campeões. Por tudo o que viveu em Portugal, o "mágico", que também passou pelo Barcelona e Chelsea antes de voltar ao Brasil (está no Fluminense), avisa Hulk, Falcao e companhia que, dinheiro à parte, não há melhor clube do que o FC Porto.

Como é que se convence os principais jogadores do FC Porto a ficarem mais um ano depois de conquistarem uma competição europeia?
Vou ser sincero: não é fácil convencer... Os jogadores têm ambições. Por exemplo, o Hulk e o Falcao têm, de certeza, muitos clubes interessados por essa Europa fora. Para além disso, é natural que os jogadores queiram ir para outro clube, de outro campeonato. Faz parte do futebol.

E como é que o convenceram a ficar? Afinal, continuou por mais um ano depois de ganhar a Taça UEFA...
Fui convencido pelo presidente e pelo próprio Mourinho. Vieram falar comigo e disseram-me que queriam montar uma grande equipa, para vencer a Liga dos Campeões. Na altura, achei que era ambição a mais, pensei que estavam doidos... Mas não e acabou por ser comprovar. Se os jogadores estiverem felizes, como eu acredito que estejam, e dependendo da idade, até podem ficar por mais um ano. Eu fiquei e não me arrependi.

O FC Porto terá condições para rivalizar com os principais clubes europeus e manter os seus jogadores?
O FC Porto tem uma história fantástica e os jogadores sentem-se bem no clube. Posso garantir uma coisa por experiência própria: é muito difícil algum jogador sentir-se tão feliz noutro clube como no FC Porto. É verdade que o aspecto financeiro é importante, mas o FC Porto só perde mesmo nisso para os maiores da Europa. Em tudo o resto - condições, nível humano, etc., etc. - é melhor ou, na pior das hipóteses, é igual. Mas esta é também a história do clube: formar grandes equipas, fazer grandes jogadores e, depois, vendê-los para começar tudo de novo.

"Afirmação de Hulk na selecção é uma questão de oportunidade"

Hulk já explodiu em Portugal - até mais do que uma vez... -, mas continua sem ter grandes oportunidades de se mostrar na selecção brasileira. As convocatórias têm sido esporádicas, as hipóteses de jogar ainda pior. Deco não concorda com a ideia de que o Brasil ainda não conhece o verdadeiro Hulk e acredita que tudo não passa de uma questão de oportunidade. "Os jogos do campeonato português passam na televisão e, agora, os treinadores nem têm de se deslocar aos estádios para ver os jogadores. Aqui, todos sabem o que ele vale. Para mim, a questão essencial passa pelo facto de ele ainda não ter tido uma verdadeira oportunidade na selecção. Já foi convocado mais do que uma vez, mas nunca chegou a ser uma aposta definitiva. Apesar disso, não tenho dúvidas de que tem capacidade para se afirmar na selecção. É uma questão de tempo", confessou.


"Falcao está a fazer história"

Depois da partida com o Paços de Ferreira, Falcao chegou aos 37 golos esta temporada, depois de ter feito 34 no primeiro ano em Portugal. "Ele é fantástico. Faz golos com uma grande facilidade", comentou Deco, que também encontrou no FC Porto um goleador "inesquecível": Jardel. "É difícil comparar os dois. O Jardel tem uma história em Portugal muito boa para contar, não só pelo que fez no FC Porto, mas também pela sua passagem no Sporting. Hoje é a vez de Falcao estar a fazer história. São dois grandes jogadores."

"Esta equipa tem capacidade para ser superior à de Mourinho"

Apesar da distância física que o separa de Portugal, Deco confessa que faz questão de continuar a acompanhar o campeonato português; afinal, as ligações são grandes e continuam intensas. Por isso, ficou feliz por a final da Liga Europa ser disputada entre dois clubes portugueses. "Ainda mais com o FC Porto lá..." Para Dublin, aponta um favorito e diz mesmo que esta equipa de André Villas-Boas pode ser melhor do que a de Mourinho.


Que opinião tem sobre esta época do FC Porto?
Tenho visto muitos jogos e o FC Porto é, actualmente, muito superior a todas as outras equipas em Portugal; joga mais e melhor futebol, não só no campeonato, mas até na Liga Europa. Tem uma equipa muito forte, de gente nova, com muita qualidade. São muito competitivos. O presidente está de parabéns. Ele e todo o seu staff.

Pode-se depreender das suas palavras que considera o FC Porto favorito a vencer a final da Liga Europa...
Se olharmos para as duas equipas, para a sua qualidade individual e colectiva, mas também para a sua história, o FC Porto é mais forte e deverá ser considerado o favorito no plano teórico. Mas uma final é sempre especial. Sendo apenas um jogo, tudo pode acontecer, até porque o Braga também está forte e tem uma equipa experiente. Vai ser um jogo diferente.

E onde vai assistir ao jogo?
Gostava muito de ir a Dublin, mas infelizmente o campeonato estará a começar e não me posso ausentar do Brasil. Fico com pena, mas vou acompanhar o jogo pela televisão.

Pinto da Costa afirmou recentemente que esta equipa é melhor do que a de Mourinho. Concorda?
Concordo com a ideia de que esta equipa tem capacidade para ser superior à de 2003 e 2004. Sem dúvida. Mas só o tempo dirá se foi... No entanto, a história é mesmo assim; é escrita para depois aparecer alguém a tentar fazer melhor. Apesar disso, é difícil comparar, até porque são duas grandes equipas. A realidade mostra que a equipa actual está a fazer um campeonato absolutamente fantástico, uma temporada fora do comum; têm muita qualidade e um treinador que surpreendeu muita gente.

"Selecção precisava de uma pessoa como Paulo Bento"

Deco abandonou a Selecção Nacional depois de ter participado no último campeonato do mundo, uma despedida que esteve longe de ser a desejada. Os problemas com Carlos Queiroz fazem parte do passado - "Não quero falar sobre o assunto", atirou -, até porque o médio preferiu apontar ao presente, que se faz com Paulo Bento. "Tenho acompanhado os jogos da Selecção e estão novamente a jogar bem. Paulo Bento é o treinador certo no momento certo. Portugal tem uma geração nova, com muito talento, e o Paulo Bento conhece a maior parte deste jogadores, com quem já trabalhou. Era de uma pessoa assim que a Selecção precisava; de alguém que saiba gerir um balneário, que saiba controlar e falar com os jogadores." Indirecta a Queiroz? Deco diz que não...




Pedro Marques Costa n' O Jogo.

Capas de 10 de Maio de 2011


António Simões n' A Bola


Miguel Sousa Tavares n' A Bola



sábado, 7 de maio de 2011

Andebol - Porto campeão 2010-2011

Avassalador, à sua própria imagem, o FC Porto Vitalis somou, em Águas Santas, o terceiro título consecutivo e o 16.º de uma história invejável. Na antepenúltima jornada, com a consagração ao alcance de uma vitória (29-33), os Dragões foram implacáveis pela enésima vez, replicando uma hegemonia inquestionável que lhe permitiu festejar muito antes do apito final.

Capas de 7 de Maio de 2011


James Rodriguez - Filosofia de Villas-Boas? Atacar, ganhar e jogar bem

N' O Jogo

James tem 19 anos e está na fase inicial de uma carreira no futebol que, ainda assim, começou prematura a nível profissional; Villas-Boas tem 33 e se ninguém questiona a sua competência, considerada a forma como tem conduzido o FC Porto esta época, não deixa de ser inegável que também ele é um jovem na profissão. A proximidade de idades, entre treinador e jogadores, foi um argumento favorável, diz James. "Ele fala a nossa língua. É um jovem, mas sabe muito. Preocupa-se com os jogadores e tem uma óptima relação com todos", frisou, antevendo uma carreira de grande sucesso ao actual treinador. "Dentro de três ou quatro anos vai ser um dos melhores do mundo", frisou. E porquê? James desenvolve: "A filosofia é simples: pensa sempre em atacar, ganhar e jogar bem". Se José Mourinho considerou um dia que a vitória era o mais importante no futebol, Villas-Boas, apesar de ter privado com ele vários anos, acrescentou mais uns detalhes a essa ideia-base de qualquer equipa. "Se ganhas e jogas bem, melhor. É isso que o treinador pretende", sublinhou o colombiano.

Precisamente por causa desse ideal, James insistiu numa comparação que fez há dias: FC Porto e Barcelona partilham estilos idênticos. "O que quis dizer com isso foi que o FC Porto também se preocupa em jogar bem e tem excelentes jogadores, tal como o Barça", explicou, antes de admitir que a adaptação ao estilo de jogo europeu lhe custou um pouco. "Foi uma mudança drástica, sobretudo a nível de mentalidade, em relação à Argentina. O futebol é diferente da América do Sul. O jogo aqui é mais rápido, tem mais ritmo e acaba por ser mais difícil", rematou.

"Hulk é mais físico e mais rápido do que eu"

James já tinha ouvido falar de Hulk e, por isso, não ficou surpreendido quando passou a trabalhar com ele diariamente no Olival. Aliás, até agradece ter alguém com as capacidades do Incrível. "É bom vê-lo nos treinos porque posso aprender com ele. Tem mesmo muita qualidade", referiu. Ainda que joguem em posições idênticas, um mais na direita e o outro na esquerda, James faz questão de dizer que são jogadores bem diferentes, não se vendo como um sucessor natural caso Hulk acabe transferido. "Ele é mais físico e mais rápido do que eu", sublinha.

"Tive paciência para esperar e nunca pensei em desistir"

O que tem James em comum com um trevo de quatro folhas ou uma pata de coelho? À sua maneira, o colombiano é bem capaz de entrar um destes dias na categoria reservada aos amuletos. A explicação é fácil: foi campeão no Banfield e em Portugal em pouco mais de dois anos como profissional. James foi-se habituando a festejar, sem precisar de esperar muito. "Oxalá possa dar sempre sorte às equipas. Eu é que tive sorte em ser campeão onde joguei; isso foi muito bom para mim", reconhece, divertido com a constatação. Mais a sério, admitiu que os primeiros meses em Portugal não foram fáceis, porque tardou em entrar nas escolhas de Villas-Boas, mas isso não o fez desistir. O casamento em Dezembro último, disse também, trouxe-lhe "mais tranquilidade" para encarar os desafios com força renovada e, coincidência ou não, passou a ser uma opção mais frequente daí em diante. Brilhou sobretudo na Liga Europa, fazendo parte do top 3 no ranking das assistências para golo. No Banfield, começou a familiarizar-se com as alas, diz-se pronto para esse papel, mas confessa que é pelo meio que se sente como peixe na água. Quando enumera as referências, percebe-se um pouco melhor: Messi e Cristiano Ronaldo, como é óbvio, mas também Gerrard e Lampard. "Se gostava de ter um bocadinho de cada um deles? Bem, procuro é segui-los; ver como fazem em campo."

Ainda a propósito de sorte e azar. Também não se pode queixar da estreia no Dragão, porque marcou um golo ao Ajax, mas depois demorou a reaparecer...

Sim, mas nunca perdi a paciência porque sabia que o meu momento haveria de chegar. Ser paciente é uma qualidade minha; depois, é importante saber ter a tranquilidade para aproveitar as oportunidades.

Já no Banfield tinha estado cerca de um ano em trabalho quase exclusivamente físico antes da estreia...

É verdade, mas, também aí, mantive sempre a tranquilidade.

Aqui em Portugal, quando não jogava, nunca lhe passou pela cabeça desistir? Falou-se até de um possível regresso à Argentina...

Claro que nunca pensei em desistir. Treinei para ter oportunidades; sabia que iam aparecer.

Especulou-se também sobre o seu posicionamento em campo. Afinal de contas, prefere jogar encostado à linha ou no meio?

Onde o treinador quiser. É verdade que me sinto bem pelo meio, mas, se o mister me quiser na ala, tudo bem. Não há problema. Sou jovem e sei que tenho de melhorar em muitas coisas. Com tempo isso vai acabar por acontecer...

Com a adaptação concluída, os adeptos podem esperar um James ainda melhor na próxima época?

A minha ideia é essa: trabalhar e melhorar sempre. Espero que a próxima época seja boa para mim e para a equipa.

Tem-se destacado nas bolas paradas. Pode ser um bom argumento para lhe abrir as portas do onze?

Acho que sempre tive essa qualidade de marcar livres e cantos. Assisto bem [risos].

A alegria de servir os companheiros

James vai-se destacando nas assistências. Na Liga Europa, só Roman Eremenko, do Dínamo de Kiev (com seis, em 12 jogos e 1069 minutos) e Arthur Boka, do Estugarda (com cinco, em 5 jogos e 390 minutos) fizeram melhor do que o portista (quatro assistências em 8 jogos e 358 minutos). Há mais jogadores com quatro assistências, mas também com mais tempo de jogo. O colombiano gosta da estatística e confessa que servir os avançados é uma tarefa que lhe dá um gozo especial. "Dá-me muito prazer ver os meus companheiros marcarem. É uma alegria servi-los", diz, antes de comentar lembrar um detalhe que lhe é favorável nas contas: "É muito bom ter quatro assistências em tão poucos minutos. Não é nada fácil."

Um Mundial para conhecer... Iturbe

O FC Porto termina a época a 22 de Maio, quando defrontar o Guimarães na final da Taça de Portugal, mas para James isso não significa o início das férias. Pelo contrário. O colombiano deve juntar-se de imediato à selecção de sub-20 do seu país para participar no prestigiado Torneio de Toulon, onde defrontará Portugal logo na abertura. "Só vou ter três semanas de férias, mas vou fazer ginásio depois de Toulon para não perder a forma para o Mundial de sub-20", referiu. Essa prova disputa-se entre 29 de Julho e 20 de Agosto, precisamente na Colômbia. "Vamos jogar em casa e um Mundial é uma prova sempre difícil, mas isso dá-nos mais motivação. Estou preparado e quero estar bem para ajudar a selecção." A presença na competição vai custar-lhe o início da época no FC Porto. "É verdade, mas estarei com a selecção e isso também será muito importante para mim", frisou. No Mundial, James poderá cruzar-se com o futuro reforço portista, Iturbe. "Só agora é que ouvi falar dele, confesso, mas dizem que é um grande jogador", atirou.

Quatro referências

James sempre gostou de jogar pelo meio, mas no FC Porto tem sido mais aposta para o lado esquerdo do ataque. Curiosamente, os jogadores que aponta como referências explicam melhor os (alargados) terrenos que gosta de percorrer. James aprecia a forma como Ronaldo marca os livres, a magia de Messi, o fôlego de Lampard e da imponência de Gerrard. Humilde, diz que não tem um bocado de cada um deles, mas apenas que os procura "imitar em campo".

Lampard

"Tem muito fôlego, está sempre em movimento, toca bem a bola"

Gerrard

"Domina todo o meio-campo e marca muitos golos"

Messi
"Simplesmente faz coisas que ninguém faz. Mais nada"

Ronaldo
"Além de ser um excelente jogador, marca bem os livres"

"Falcao é o melhor jogador colombiano"

São três os colombianos do plantel do FC Porto e até foram eles que fabricaram o segundo golo em Vila-Real. "Foi muito bonito. Meti a bola no Guarín, que correu e centrou muito bem para o Falcao que, para não variar, marcou", contou. Ora, por causa deles, a carreira do FC Porto está a ter "um enorme impacto" na Colômbia. Ou não morasse no Dragão o melhor jogador daquele país, na opinião de James. "O Falcao é um grande goleador e isso é óptimo para ele e para o clube. Explodiu aqui no FC porto e penso que, neste momento, é o melhor futebolista colombiano, mas o Guarín também tem estado em bom plano", referiu. "Já o conheço há uns seis anos e sempre foi um bom jogador, mas agora está a num grande momento", acrescentou, dizendo que ninguém no plantel o surpreendeu em particular. "São todos bons jogadores, de topo", sublinhou.

Casamento deu-lhe muita tranquilidade

É muito improvável que casar esteja entre as proridades de qualquer jovem de 19 anos. James nem hesitou em fazê-lo, em Dezembro último. Mais do que escarafunchar uma parte da vida que só a ele diz respeito, a verdade é que há um bom motivo para tocar no assunto. Na verdade, até há dois. Por um lado, é o próprio James a admitir que o facto de ter optado por casar-se tão novo foi determinante para garantir um pilar sólido que acaba por reflectir-se no futebol. "Foi muito importante fazê-lo", diz, à procura da melhor palavra para completar o raciocínio. "Como dizer? Está-me a faltar a palavra certa. Bem, Deu-me muita tranquilidade", reforça. O segundo motivo que faz do tema assunto público é o facto de Daniela, a esposa, também ela colombiana, fazer parte do plantel de voleibol do Leixões, lutando pelo campeonato de juniores. "Somos dois desportistas lá em casa", ri-se James. "Ela joga vólei e joga bem! Oxalá que também possa ser campeã..."

Nas horas vagas, passeia e aprende... inglês

O Porto, diz James, "é uma cidade linda, tranquila; só o frio é que foi difícil de aguentar, embora também já o tenha enfrentado na Argentina".

Perfeitamente adaptado às rotinas e aos costumes portugueses, James garante que tem uma vida pacata. "Além de treinar, e como tenho muitas tardes livres, aproveitei para me inscrever num curso de inglês", confessa. À semelhança de Falcao e Guarín, também ele se assume fã do Twitter, onde já tem mais de 17 mil seguidores.

Essa ligação ajuda-o a manter o contacto com a Colômbia, onde o FC Porto, à conta dos três colombianos, tem conquistado muitos adeptos. "O impacto das nossas vitórias tem sido enorme. As pessoas seguem muito por causa do Guarín, do Falcao e também por minha causa", conta James.

"O melhor na Playstation sou eu!"

Como a maioria dos jovens de 19 anos, James passa horas em frente à televisão, a jogar Playstation. Naturalmente que os jogos de futebol são os preferidos e embora não chegue ao ponto de ganhar tendinites nos dedos, o colombiano é craque também fora dos relvados. Aliás, parece que não há quem o bata no balneário portista a jogar FIFA ou PES, os mais populares videojogos de futebol, apesar de não faltarem especialistas. "Já joguei várias vezes contra os meus companheiros e ganhei. O Belluschi, o Mariano e o Falcao também jogam bem, mas, no fim, eu ganho-lhes sempre", atirou sem esconder um sorriso. E se quando estava na Argentina escolhia sempre o Real Madrid, por causa de Ronaldo e Kaká, como equipa preferida, nesta altura os craques virtuais que controla são outros. "Agora jogo com o Barcelona e com o FC Porto porque são os que praticam melhor futebol", frisou, divertido.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

experiências

Bl bla bla

Humor de Luís Afonso

Capas de 6 de Maio de 2011

Rui Moreira n' A Bola



Francisco José Viegas n' A Bola


José Manuel Freitas n' A Bola