sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A grande penalidade da vizinha

Os penáltis são mais ou menos como o dinheiro: Quem tem muitos, nunca os acha importantes, raramente fala deles e é capaz de jurar a pés juntos que não trazem a felicidade; em contrapartida, quem não os tem ou tem poucos, não consegue falar de outra coisa, garante que fazem toda a diferença e aposta que os outros não conseguiam viver sem eles. Houve quem se tivesse queixado dos penáltis marcados a favor do FC Porto, dando-lhes uma importância enorme e responsabilizando-os pela diferença que já é de onze pontos para o Benfica no campeonato, esquecendo deliberadamente os golos mal sofridos por Roberto no início do campeonato ou a falta que fizeram Di María e Ramires. Ora, nem de propósito, as mesmas pessoas fizeram questão de relativizar a importância dos três penáltis favoráveis ao Benfica na meia-final da Taça de Portugal com o Rio Ave. Lá está, como diria a minha avó, a grande penalidade da vizinha é muito mais gorda do que a minha.

Jorge Maia n' O Jogo.

1 comentário:

r.m.silva da costa disse...

É este tratamento discricionário e parcial que não consigo aceitar a profissionais com deveres jurados na formação da opinião pública.