segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Nada tão bom que não possa melhorar

Uma das leis de Murphy garante que não há nada tão mau que não possa ficar consideravelmente pior. Uma regra cujos efeitos, de uma forma ou outra, já todos sentimos na pele, mas que é contrariada frontalmente pelo FC Porto desta época. Tome-se como exemplo James Rodríguez. A estreia como titular do jovem colombiano frente ao Juventude de Évora, no sábado, parece provar que, para a equipa de André Villas-Boas, não há nada tão bom que não possa ficar significativamente melhor. Aliás, depois da exibição protagonizada por James na Taça de Portugal, percebe-se que a sua ausência até agora só pode ser explicada pelo bom rendimento dos restantes elementos do ataque. Por outro lado, parece evidente que, numa altura em que muita gente esperava que o FC Porto tivesse atingido os seus limites, James Rodríguez mostra que a equipa de Villas-Boas ainda tem muito por onde crescer.

Jorge Maia n' O Jogo.

1 comentário:

AZUL DRAGÃO disse...

Acho que o Jorge Maia tem razão !

Um abraço